Curiosidades

A pouco conhecida ‘origem árabe’ da Estátua da Liberdade

A Estátua da Liberdade, um dos grandes símbolos dos EUA, desde 1886 "guarda" a entrada de Nova York pelo mar. O monumento, que a França deu de presente aos Estados Unidos como parte das comemorações pelo primeiro centenário da independência americana, rapidamente se transformou em um símbolo de esperança para os imigrantes, que já naquela época chegavam aos montes ao país. A obra, mais especificamente o poema gravado em sua base, que fala em solidariedade e acolhimento, voltou ao imaginário americano depois da publicação dos controversos planos do presidente Donald Trump para a imigração, em especial sua tentativa de vetar a entrada de indivíduos de sete países majoritariamente muçulmanos - que atribui a questões de segurança. Essa medida, bloqueada pela Justiça, também trouxe à tona um detalhe pouco conhecido - e irônico - do passado da estátua: a obra do escultor francês Frédéric Bartholdi, afirma o professor de história da Universidade de Nova York Edward Berenson, tinha como objetivo representar uma...
Leia mais

A história do gorila adotado por família britânica e criado como criança

O povoado de Uley, no sul da Inglaterra, foi palco de uma insólita história nas primeiras décadas do século 20: lá, um gorila foi criado como uma criança. Batizado de John Daniel, o primata foi adotado por Alyce Cunningham, depois de seu irmão tê-lo comprado pelo equivalente a R$ 1.200 em Londres. John Daniel foi vendido depois de ter ficado muito grande. O gorila morreu em 1922. O caso foi revisitado por Margaret Groom, uma arquivista que publicou um livro sobre a história de Uley. Impossível Margaret encontrou uma série de fotos do gorila no arquivo público do vilarejo. A história incomum, segundo ela, mereceu sua inclusão no livro. "Muita gente que toca no assunto não acredita que isso tenha realmente acontecido", disse a arquivista. John Daniel foi capturado ainda filhote no Gabão (África) e levado para Londres, onde o irmão de Alyce, Rupert Penny, viu o primata à venda em uma loja de departamentos. Alyce apelidou o gorila de Sultão. De acordo com Margaret...
Leia mais

Auroville, a cidade onde é possível viver totalmente sem dinheiro

É preciso ter muito senso de humor quando o governo declara que a maioria das notas que você tem na carteira não vale mais nada. Foi o que aconteceu na Índia: no fim do ano passado, o país retirou de circulação as cédulas de alto valor mais alto. Em um país com 1,2 bilhão de habitantes, a corrida para trocar as notas de 500 (R$ 25) e 1 mil (R$ 50) rúpias ou depositar o valor em contas provocou grandes filas nos bancos - as cédulas que deixaram de valer correspondiam a 85% de todo o dinheiro em circulação no país. A decisão do governo indiano pretende combater a corrupção, o mercado negro e a evasão de divisas, já que muitos trabalhadores recebem em dinheiro vivo. Em novembro, poucos eram os sinais de revolta nas filas: as pessoas concordavam com a medida. Mas assim que as notas saíram de circulação, os jornais noticiaram que qualquer transação exigia negociações complicadas. Houve festas de...
Leia mais

A curiosa carta de Richard Nixon em 1987 que prevê vitória de Donald Trump em eleição nos EUA

Uma carta escrita em 1987 pelo ex-presidente dos Estados Unidos Richard Nixon endereçada ao empresário Donald Trump vem despertando curiosidade, especialmente após a eleição do republicano, na quarta-feira, para a Presidência do país. Nela, Nixon "prevê" a vitória de Trump no caso de ele concorrer a uma eleição. A carta, de apenas dois parágrafos, foi enviada pelo biógrafo do empresário, Michael D'Antonio, ao jornal americano The New York Times quando preparava um livro sobre o bilionário - que pensava em intitular de Never Enough ('Nunca o bastante', em tradução livre), mas acabou batizada de The Truth About Trump ('A verdade sobre Trump'). A missiva foi escrita depois da participação de Trump - que, aos 41 anos na época, já era um destacado empresário do setor imobiliário - como entrevistado de um programa de televisão. "Querido Donald. Não vi o programa, mas minha esposa (Patty Nixon) me disse que você foi fantástico no programa de Phil Donahue (famoso apresentador de talk-show)", escreve Nixon. "Como...
Leia mais

A curiosa origem do Dia das Bruxas

O Dia das Bruxas é conhecido mundialmente como um feriado celebrado principalmente nos Estados Unidos, onde é chamado de Halloween. Mas hoje em dia é celebrado em diversos outros países do mundo, inclusive o Brasil, onde hábitos como o de ir de porta em porta atrás de doces, enfeitar as casas com adereços "assustadores" e participar de festas a fantasia vêm se tornando mais comuns. Mas sua origem pouco tem a ver com o senso comum atual sobre esta festa popular. Entenda a seguir como ela surgiu. De onde vem o nome? O Halloween tem suas raízes não na cultura americana, mas no Reino Unido. Seu nome deriva de "All Hallows' Eve". "Hallow" é um termo antigo para "santo", e "eve" é o mesmo que "véspera". O termo designava, até o século 16, a noite anterior ao Dia de Todos os Santos, celebrado em 1º de novembro. Mas uma coisa é a etimologia de seu nome, outra completamente diferente é a origem do Halloween...
Leia mais

Lilith: a primeira mulher de Adão, segundo o evangelho original

No ano de 325 d.C foi realizado o I Concílio de Nicéia, presidido pelo imperador romano Constantino. O Concílio teve como objetivo reunir bispos de todas as regiões onde em que havia cristãos para discutir e definir temas fundamentais do Cristianismo, tais como a data da Páscoa, e se Cristo era um ser criado (doutrina de Arius) ou não criado, e sim igual e eterno como Deus Seu Pai (doutrina de Atanásio). Além de condenar, rejeitar e retirar da Bíblia os chamados evangelhos apócrifos (ou gnósticos), aqueles que, segundo o Concílio foram escritos sem a “inspiração Divina”por irem contra os dogmas estabelecidos pelos bispos. Vários evangelhos originais daquela época, que deveriam estar na Bíblia, foram retirados. Tais como o evangelho de Maria Madalena, Tomé, Judas, Jesus e Gênesis II. Foi decidido que no Concílio de Nicéia que esses evangelhos deveriam ser destruídos, mas nem todos foram. Em 1945, próximo à cidade de Nag Hammadi (Egito), 52 cópias de textos antigos, chamados de evangelhos gnósticos, foram encontradas...
Leia mais

A guerreira que abriu caminho para as mulheres brasileiras nos livros de História

Anita Garibaldi, cuja morte completa 195 anos nesta semana, foi uma das poucas mulheres a conseguir despontar em um universo majoritariamente masculino: as páginas dos livros didáticos sobre a história brasileira. Um dos motivos, apontam pesquisadores, é o fato de sua trajetória fugir - e muito - do esperado para as mulheres de sua época. Em pleno do século 19, Anita escolheu não ter filhos ao ser casar pela primeira vez, se separou do marido para se juntar às tropas dos Farrapos e se tornou, com seu companheiro Giuseppe Garibaldi, uma heroína revolucionária não só no país, mas também na Itália. "Além de atuar na Revolução Farroupilha, no sul do Brasil, e em lutas no Uruguai, Anita também teve importante atuação nas guerras da unificação italiana junto a Garibaldi, que foi reconhecido como o maior herói daquele país", conta Cristina Scheibe Wolff, historiadora da Universidade Federal de Santa Catarina. "Ela se destacou em um campo que não era visto como possível para...
Leia mais

Como Portugal comprou o Nordeste dos holandeses por R$ 3 bi

Mesmo depois de terem sido derrotados, os holandeses receberam dos portugueses o equivalente a R$ 3 bilhões em valores atuais para devolver o Nordeste ao controle lusitano no século 17. O pagamento ─ que envolveu dinheiro, cessões territoriais na Índia e o controle sobre o comércio do chamado Sal de Setúbal – correspondeu à época a 63 toneladas de ouro, como conta Evaldo Cabral de Mello, historiador e imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), no livro O negócio do Brasil, que está sendo relançado em uma nova edição ilustrada pela Editora Capivara, de Pedro Correia do Lago, ex-presidente da Fundação Biblioteca Nacional. A edição original foi lançada em 1998. Em valores atuais, o montante equivaleria a 480 milhões de libras esterlinas (ou cerca de R$ 3 bilhões). O cálculo foi feito por Sam Williamson, professor de economia da Universidade de Illinois, em Chicago, nos Estados Unidos, e cofundador do Measuring Worth, ferramenta interativa que permite comparar o poder de...
Leia mais

Garoto de 12 anos recebe nariz novo criado em sua própria testa

Médicos na Índia substituíram o nariz desfigurado de um garoto de 12 anos por outro que "cresceu" na sua própria testa. Arun Patel  (foto 1 destaque) sofreu deformações na face por causa de uma pneumonia quando era bebê. A infecção danificou a cartilagem do nariz, e os médicos não conseguiam reconstruí-lo. Uma operação semelhante foi feita na China em 2013. Neste caso, um homem (foto 2 destaque) recebeu um novo nariz após ter o seu desfigurado durante um acidente de trânsito. Alargador de tecido Os pais de Arun o levaram a um médico em seu vilarejo, no Estado de Madhya Pradesh, devido a uma pneumonia que ele teve logo após o nascimento. Mas o tratamento piorou seu estado e ele perdeu parte do nariz por causa dos grandes danos ocorridos no tecido. Mais de dez anos depois, um grupo de médicos na cidade de Indore decidiu fazer uma rara cirurgia plástica para dar a ele um novo nariz. O médico Ashwini Dash, que liderou a equipe,...
Leia mais

O café mais caro do mundo é feito a partir das fezes do mamífero civetas

Segundo maior exportador de café do mundo, o Vietnã concorre com o Brasil no mercado internacional, mas a maior parte de sua produção é usada para alimentar a demanda por marcas genéricas de café instantâneo. Porém, o país do Sudeste asiático tem poucos rivais no que diz respeito ao caráter exótico de uma de suas variedades: é de lá que vem o Kopi Luwak, nome dado a um café produzido a partir de grãos defecados pelas civetas, um mamífero noturno que é parente da raposa e habita as florestas tropicais africanas e asiáticas. Um quilo do Kopi Luwak pode custar pelo menos US$ 400 (R$ 1,4 mil) no mercado americano e, em cafeterias mais requintadas, uma simples xícara pode sair por US$ 30 (R$ 100). Não por acaso, o produto volta e meia é descrito como o café mais caro do mundo. Mas qual é a razão de um preço tão salgado? Trata-se de uma combinação entre exotismo e forças de mercado....
Leia mais