Adaptações de livros em Hollywood cria expectativas em autores nacionais

Print page

Enquanto o cinema brasileiro parece parado no tempo desde a época da ditadura, mesmo que conseguindo fazer algumas produções de gêneros diferentes, como ficção científica, ‘O Homem do Futuro’ e ‘Nosso Lar’, Hollywood busca na literatura mundial histórias para suas novas produções. Adaptações como o filme de ficção científica ‘No Limite do Amanhã’, estrelado por Tom Cruise, que teve o roteiro baseado na light novel ‘All You Need is Kill’ do autor japonês Hiroshi Sakurazaka.

Já que as produções nacionais ainda se limitam as comédias derivadas das antigas pornochanchadas e nos dramas estilo favelas movies, o que resta aos talentos da literatura nacional, é sonhar que suas histórias cheguem a Hollywood, especialmente os da literatura fantástica.

Que o brasileiro adora cinema, isso é fato e o gosto é bem variado. Porém, na falta de uma indústria sólida no Brasil, com filmes de gêneros mais variados como em Hollywood, a busca por variedade fica entre as produções estrangeiras. Em especial quando o assunto é cinema fantástico, um estilo muito apreciado no Brasil, como pode-se ver com os recentes campeões de bilheterias no país, todos do gênero ficção científica, ‘Planeta dos Macacos – O Confronto’, ‘Guardiões das Galáxias’ e ‘Tartarugas Ninjas’.

adaptaçõesBR-OERJ_02

Fotos: Divulgação (Amy Adams)

Literatura nacional fantástica de primeira

Se a desculpa é a falta de roteiros bons, então está na hora do cinema nacional começar a olhar para a literatura brasileira e ver além dos clássicos. Bons livros para adaptação existem e se seguir o exemplo de Hollywood, sem medo de reunir pessoas talentosas de várias partes do mundo em suas produções, muitos bons filmes poderiam ser produzidos.

Afinal se brasileiros como o diretor José Padilha e os atores Rodrigo Santoro e Wagner Moura, podem ir para Hollywood, por que não trazer para o Brasil, talentos estrangeiro para uma troca de ideias?

A parceria com estrangeiros na produção de ‘Nosso Lar’, mostrou bons resultados, a adaptação de um livro espírita, ficou com um visual de qualidade próxima a filmes de ficção científica estrangeiros.

Quanto as histórias, o autor Gabriel Arruda Burani, criador da saga de ‘Hugo, o vampiro’, é um exemplo de livro que vale ser adaptado. Ele criou uma história fantástica que se passa num passado medieval, o que podia gerar um filme de ação épico de primeira qualidade.

Os sonhos dos autores

Alguns autores nacionais falaram com o jornal O Estados RJ, em clima de Bienal do Livro SP, e revelaram que tanto eles como seus fãs sonham com a ideia de suas histórias virarem filmes.

adaptaçõesBR-OERJ_03

Fotos: Divulgação

Nazarethe Fonseca, falou de sua saga vampiresca ‘Alma e Sangue’, que inclusive ganhou uma websérie inspirada em alguns personagens, e também de seu novo livro ‘Pandora – Controle Sobrenatural: A Queda’. A autora chegou a sugerir alguns nomes entre atores nacionais e também internacionais, que poderia interpretar alguns de seus personagens.

Quanto aos protagonistas de ‘Alma e Sangue’, Jan Kmam em versão nacional, poderia ser interpretado por Gabriel Sater, já Bradley Cooper seria um ator dos internacionais que ficaria bem no papel do vampiro. Kara Ramos podia ser interpretada pela atriz brasileira Alice Braga e em relação a um elenco internacional, poderia ser a Nathalie Kelley.

Em relação ao livro ‘Pandora’, Alex Olivares poderia ser interpretado pelo brasileiro Paulo Rocha, já para um ator internacional, a sugestão é Channing Tatum. Zoe Lessa em versão nacional seria interpretada por Cecília Dassi e para um elenco internacional, pela Isabelle Fuhrman. Rafael Cardoso ficaria bem na pele da versão brasileira de Caliel, assim como Ben Barnes em uma produção estrangeira.

Joe de Lima, que após participar de algumas antologias como contista, como ‘Angelus – Histórias Fantásticas de Anjos’, ‘PsyVamp’ e o lançamento na Bienal deste ano ‘Daemonicus’, decidiu colocar online uma de suas histórias, ‘Serpente de Fogo’.

O sucesso fez o ator pensar em um eBook revisado e enquanto a publicação digital fica pronta, o autor fez uma brincadeira e resolveu escalando um elenco para uma adaptação cinematográfica de seu livro, ‘Serpente de Fogo – O Filme’. Entre os nomes para interpretar os personagens principais estão Robbie Kay (Valek), Eva Green (Liana), Elle Fanning (Sarissa), Caity Lotz (Acássia), Viggo Mortenssen (Garet), James Purefoy (Kotler) e Alan Rickman (Baltus).

A desenhista e escritora Vivianne Fair nunca escondeu que seu vampiro Zack, da série ‘A Caçadora’, que ganhou uma nova edição na Bienal deste ano, publicada pela Editora Draco, e ‘O Caçado’; é a cara do Ian Somerhalder. Quanto a sua caçadora,  atriz Amy Adams, e suas madeixas ruivas, é perfeita para o papel de Jessi.

A também autora da Draco, Ana Lúcia Merege falou dos personagens de sua série fantástica, atualmente com 2 livros, ‘O Castelo das Águias’ e ‘A Ilha dos Ossos’. “Kieran pode ser visto sob vários aspectos, um mais durão e um mais suave, mas em ambos ele é um cara inteligente e profundo.”

Assim a autora afirma que Viggo Mortensen poderia interpretá-lo bem, mas uma outra opção seria Tom Hiddleston. “Outro ator de quem gosto que poderia ficar legal no papel seria o Christian Bale, se ele estivesse mais magro.” Ainda arriscando a dizer que Kit Harrington em uma versão mais velha, também podia fazer o papel.

“Quanto à Anna, o personagem exige que seja uma morena, mas poderia ser uma atriz mais clarinha de cabelo tingido e com um bronzeado. Ela é novinha e tem uma personalidade brincalhona.” As opções dadas pela autora foram Jennifer Lawrence ou Ellen Page.

Já a desenhista e escritora Giulia Moon brinca sobre a escalação de seu elenco vamp-estelar, afirmando que tem consciência que seria impossível fazer um filme com todos juntos.

“Vejo esses atores representando meus personagens com idades nem sempre atuais,” confessou a autora. “Mas é prerrogativa dos escritores fugir um pouco da lógica natural, não é? E cada leitor ou leitora tem uma imagem mental dos personagens na cabeça, que pode ser bem diferente da minha. Para esses leitores, eu digo sempre para não se preocuparem. A imagem de Kaori ou do Takezo deles é tão real quanto a minha.”

Sobre a personagem que dá nome aos livros, Kaori, Giulia Moon revela que é meio difícil de imaginá-la, mas sugeriu Chiaki Kuriyama, que fez a Go-Go-Yubari de ‘Kill Bill’, quando tinha dezesseis aninhos. “Ela era uma mistura perigosa de lascívia e ingenuidade de menina.”

Curiosamente a autora afirmou que sua vilão Missora poderia ser interpretada por Chiaki Kuriyama em sua atual idade. “Ela parece perversa (*risos*), embora a minha inspiração inicial tenha sido Missora Hibari, grande cantora japonesa, mas já falecida. Ela tinha um rosto muito expressivo. E parecia má, também!”

Takezo poderia ser interpretado por Ken Watanabe, de ‘Último Samurai’. “Forte, majestoso e protetor. E com uma voz linda!” Já Samuel Jouza, com “J” mesmo, a autora ainda não tinha pensado em um ator para o papel, mas durante o depoimento para O Estado RJ, afirmou que Hugh Jackman mais novo e menos sarado, seria perfeito no papel, ou seja, “antes de virar o Wolverine”.

Julianne Moore como Beatriz. “Ela tem um ar intelectual e ao mesmo tempo sexy, que é a cara de Beatriz.” Samuel L. Jackson como Sidney e Mateus Solano como Felipe. Por fim o sedutor e misterioso Yoshi, seria perfeito se interpretado pelo roqueiro e ator japonês Gackt.

O que provavelmente todas as fãs da série ‘Kaori’ devem concordar. Gackt é uma paixão declarada da autora, que “sonorizou” várias momentos de seus livros, com músicas do roqueiro; o qual ganhou muitas fãs no Brasil graças as histórias sobre Kaori. Que com certeza seria incluído como um dos cantores na trilha sonora de um filme baseado na série literária da vampira.

Por

anny.lucard@oestadorj.com.br

Comentários estão fechados.