Estreia mundial de ‘Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos’

Nova franquia cinematográfica inspirada na série de livros de Cassandra Clare promete abalar as bilheterias

Print page

Estreou nesta quarta-feira (21) nos cinemas mundiais o primeiro filme da série ‘Instrumentos Mortais’, composta por 6 livros dos quais 5 já foram traduzidos para o português e lançados pela Galera Record. Apenas as expectativas de a franquia cinematográfica ser tão bem sucedida quanto os livros, todos best-sellers, já garantiu a sequência antes mesmo do lançamento do primeiro longa.

O grande número de fãs brasileiros, inclusive, fez a editora responsável pela publicação dos livros de Cassandra Clare, organizar vários eventos pelo país nas semanas antecederam a estreia do filme, onde aconteceu debates, gincanas e distribuição de brindes.

A nova franquia cinematográfica, com roteiro baseado em uma série de livros de literatura fantástica, promete enfeitiçar fãs do gênero, diz Manoela Alves, porta-voz do Grupo Record, que já leu os livros e viu o filme. A adaptação deve agradar também aos fãs de Cassandra Clare.

Uma nova franquia fantástica sobrenatural

É importante ter em mente que um filme nunca será uma cópia dos livros, por inúmeras questões. Porém, as diferenças entre o livro e o filme ‘Cidade dos Ossos’, ao contrário de muitas outras adaptações, existem por bons motivos.

“É perceptível que, em algumas cenas, tem mais personagens no filme do que tinha na mesma cena do livro, mas isso se deve ao fato de que, no livro, os personagens são introduzidos ao leitor conforme Clary também vai tomando conhecimento deles”, explica a porta- voz.

“De uma forma mais abrangente, o filme ganhou muita ação e este foi, sem dúvida, um ponto positivo, visto que ele tem duas boas horas de duração”, comenta Manoela, entusiasmada. El,a ainda elogia a ótima direção de Harald Zwart, que também irá dirigir o próximo filme da série: ‘Os Instrumentos Mortais: Cidade das Cinzas’.

A autora brasileira Roxane Norris está entre os fãs de ‘Os Instrumentos Mortais’ ansiosos para ver o filme e comenta que a forma como Cassandra Clare mistura criaturas mágicas e as manipula diante dos olhos é realmente maravilhoso.

“Clary é uma adolescente tipicamente americana, que mora com sua mãe Jocelyn, no Brooklyn em Nova York, e me chama atenção o fato dela não ser fisicamente parecida com o estereótipo”, destaca a autora Roxane Norris. “Eu gosto da construção das personalidades que a Cassandra Clare faz ao longo da trama, é como se todos eles fossem um quebra-cabeça”, completa.

Um dos blogueiros do Fascínios Literários e fã, Henrique Morais, conta que conheceu  ‘Os Instrumentos Mortais’ antes mesmo de a saga ser lançada no Brasil. Como gosta de literatura fantástica sobrenatural, ele buscava por anjos, ou algo do tipo, e encontrou ‘Cidade dos Ossos’, passando a esperar pelo lançamento da série em português.

“Minha personagem favorita é sem dúvidas a Isabelle. Ela é aquele tipo de garota independente, determinada e forte”, revela Henrique. “Ela me passou a imagem de uma heroína sexy e também me fez rir em vários momentos”, complementa.

A fã Lu Piras, também autora de livros fantástica que envolve anjos, descobriu a série ‘Os Instrumentos Mortais’ quando pouco se falava sobre ela no Brasil. A autora leu o primeiro livro publicado no país e os seguintes em Portugal, já que não conseguiu esperar a versão brasileira, por conta da sua curiosidade pelo desenrolar da trama.

Mesmo que a bela capa realçando as tatuagens do Jace (o personagem na capa do primeiro livro) tenha sido a primeira coisa que chamou a atenção de Lu Piras para ‘Cidade dos Ossos’, foram palavras chave como “mundo oculto”, “tatuagens enigmáticas” e “tribo de guerreiros secreta” que a fez ler o livro.

Como fã de histórias sobrenaturais, além de autora de literatura fantástica, Lu Piras ficou curiosa para saber o que Cassandra Clare havia criado de novo, em especial, ao saber que é uma fã declarada de Harry Potter. “Devorei o livro, envolvida pela narrativa de ação. Gostei imediatamente da Clary, por isso, a narrativa sob a sua perspectiva nunca foi um incômodo durante a leitura. Eu gosto de livros em primeira pessoa”, afirma Lu.

A também autora de literatura fantástica, Roxane Norris, comenta sobre Cassandra Clare, ter escrito outras histórias como, ‘As Peças Infernais’, livros que pretende ler em breve.

Já o blogueiro Henrique Morais fala que tem o primeiro volume da série ‘As Peças Infernais’ e diz que é uma série que narra acontecimentos anteriores aos de ‘Os Instrumentos Mortais’. “Sei também da participação da Cassandra Clare na antologia ‘Zumbis vs. Unicórnios’, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Vontade não falta”, diz.

No filme ‘Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos’, que o jornal O Estado RJ já conferiu na cabine de imprensa do Rio de Janeiro, fica claro que Cassandra Claire tem muita imaginação e sua história é uma aventura das mais fantástica, repleta de ação, com personagens complexo que intrigam ao mesmo tempo que encantam.

Como um bom filme do cinema fantástico de ação, o que não falta são efeitos digitais e cenas de ação elaboradas. Além da direção de arte cuidadosamente trabalhada, desde o figurino até a maquiagem. O roteiro também se destaca pelo drama pessoal de cada personagem ser bem colocado e também por momentos divertidos, que quebram as cenas de grande tensão.

A escolha do jovem elenco conta com talentosos iniciantes, como Lily Collins, Jamie Campbell Bower e Robert Sheehan nos papeis principais. Kevin Zegers, que interpreta Alec, um dos irmãos Lightwood, também é um dos destaques. “Ele em seu desgosto reprimido por Clary e Izzy com toda sua ousadia e garra como Caçadora de Sombras, também chama atenção no filme”, diz  a porta-voz do Grupo Record Manoela Alves.

O filme também conta com o premiado ator irlandês Jonathan Rhys Meyers, de ‘The Tudors’ e que atualmente está na série ‘Drácula’. O foco da trama de ‘Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos’ é o mundo dos anjos e demônios, mas outros seres sobrenaturais também tem espaço especial.  Para os fãs de histórias fantásticas sobrenaturais o filme é uma boa pedida e os livros representam uma chance de conhecer uma ótima autora de literatura fantástica.

Por

anny.lucard@oestadorj.com.br

1 comentário

  1. Eu adorei a matéria e amei o filme!
    Claro, levando-se em conta a adaptação para as telonas, porque se não, não suportaria nem ver o retalhamento que fizeram com Harry Potter. Algo imensurável para os leitores da série. Instrumentos Mortais foi bem mais contundente.
    Bjos