Os Monstros da Universal no Século XXI

Estúdio norte americano volta a investir em filmes com seus clássicos monstros

Print page

 

adrianosiqueira2

Fotos: Divulgação

Com a estreia de ‘A Múmia’ um filme de ação, com pitadas de terror e comédia, fãs dos monstros da Universal e os velhos filmes do gênero terror, de conteúdo sobrenatural, se dividem.

Mesmo com uma história repleta de referências aos filmes de monstros clássicos, ‘A Múmia’ de Tom Cruise dá continuidade a história da trilogia com Brandon Fraser, que  foge do clássico filme de monstro do terror, mantendo o pé na ação com doses de aventura. Porém, há referências ao terror do início do século XX e também uma saudosa lembrança a produções da Hammer.

Um dos mais célebres fãs, aqui no Brasil, dos monstruosos clássicos de terror, é autor e um dos maiores colecionador brasileiro de histórias de terror e vampiros, Adriano Siqueira. Da literatura mundial a filmes raros, o sobrenatural autor e também pesquisador de vampiros e lendas sobrenaturais em geral, fala sobre a proposta dessas novas produções e de seu trabalho.

O Estado RJ: Você acha que após a febre dos monstro não tão monstruosos, os clássicos terão espaço?
Adriano Siqueira: Sempre haverá espaço para os clássicos. A indústria ainda combate ferozmente os filmes antigos produzidos pela Hammer, mas os fãs existem em grande número. Isso mantém o mercado no seu giro e os relançamentos são algo inevitável. Existe também o mercado de filmes caseiros que também dominam um bom mercado. Os filmes produzidos com baixo orçamento atraem um público bem numeroso que também tem a vontade de produzir seus filmes. Conforme a tecnologia fica mais disponível e facilidade de preço, os produtores que não tem um recurso muito bom, acaba por produzir mais suas ideias, e nessas ideias os monstros aparecem com força total. Foi assim que começou o cinema e assim vai ser por muito tempo. Os filmes de antigamente são muito criticados hoje.  Os monstros de antigamente eram monstruosos e não havia leis sobre o politicamente correto. Existe uma grande ponte que nos separa dos filmes do passado com os de hoje. Essa ponte está remendada e precisa de uma reforma. Esta reforma vem dos fãs. O que eles querem é ver bons filmes. E esses filmes precisam atrair o público de hoje e o de ontem. Para isso os fãs precisam lutar muito para conquistarem seu espaço e tenho fé que isso vai acontecer.

OERJ: Da mesma forma que filmes protagonizados por monstros “bonzinhos” reformularam muitos conceitos, a proposta do primeiro filme do Dark Universe (A Múmia) é recontar várias histórias clássicas. O que acha?
AS: Recontar histórias já é algo muito usado. O famoso remake e a refilmagem nunca sai da moda. Muita gente prefere ver uma refilmagem do que ver um filme inédito. Existem centenas de filmes do Drácula, Lobisomem, Múmia, Frankenstein, e muitos outros monstros que acabam voltando para as telas. Faz parte do crescimento da humanidade, se eu assisti um filme de terror quando era adolescente os filhos e os netos podem ver a refilmagem deste mesmo filme. Eu assisti três versões do filme “eu sou a lenda” e ainda vai ter refilmagem dele no futuro não muito distante. Monstros são, muitas vezes, mais destacados dos que os vilões de super-heróis. Aliás, os vilões se baseiam nos monstros de antigamente e por isso o público geralmente gosta mais dos vilões.

OERJ: Já viu ‘A Múmia’? Qual suas impressões? Se ainda não, o que espera do filme, já que não é um remake dos filmes anteriores?
AS: Não assisti este novo filme da múmia no cinema. Sinceramente o trailer não me atraiu. Não vi nada de assustador para ser um filme de terror e esta mais para aventura. As cenas do trailer mostram que se os monstros voltarem através deste filme então serão monstros enfraquecidos e o que vai segurar a plateia serão mesmo os coadjuvantes, que geralmente são os personagens engraçados e isso distância o terror e acaba virando algo para o público em geral.

OERJ: Como um fã de vampiro de carteirinha, com uma gigantescas coleção, o que espera para os próximos filmes, já que o universo vampiresco de Drácula está na lista do Dark Universe?
AS: Espero que os vampiros sigam a linha dos vampiros conquistadores e impiedosos. Os que seduzem para se alimentar e lutam para dominar. Vampiros no cinema sempre devem ser superiores aos humanos. Se algum humano se aproximar deste vampiro, que ele esteja armado. Acredito em uma aliança com os antigos monstros, mas ela deve ser vista com muito cuidado, pois os vampiros querem ser superiores sempre.

OERJ: Como autor fantástico, com histórias focadas em vampiros inspirados em Drácula e semelhantes, acha que o destaque para os novos filmes da Universal Pictures pode ajudar a alavancar as vendas de livros como a antologia que está lançando?
AS: Filmes, séries, games, quadrinhos, novelas e tudo mais que se destaca na mídia sobre vampiros sempre ajuda os autores nacionais a escrever mais sobre o tema. A antologia ‘O Sangue dos Vampiros’ vem com a ideia de trazer o lado ‘Black Mirror’ dos vampiros. Seres que sugam sangue, mas que não seguem uma linha “Branstokiana”.

Por

anny.lucard@oestadorj.com.br

Comentários estão fechados.